Operação Curto Circuito: empresário de Pinhais é preso por suposta fraude em contratos da Copel

Na manhã desta segunda-feira, (5) dois empresários e um ex-funcionário da Copel foram presos por suspeita de envolvimento em uma fraude milionária. A ação faz parte da Operação Curto Circuito, do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce), unidade da Polícia Civil do Paraná. Além deles, cinco empresários foram conduzidos coercitivamente, levado para prestar depoimento. O prejuízo contabilizado é de R$ 7 milhões.

Os envolvidos

Entre os envolvidos temos Wellington Cesar Nunes, ex-funcionário da Copel. Ele era o fiscal dos contratos das empresas com a companhia e aumentava propositadamente os valores a serem pagos às empresas, através da falsa prestação de informações, fazendo com que elas recebessem valor maior do que real.

Além dele, foram detidos ainda Rodrigo Sonda, administrador das empresas Acezza e Dipel, e Gilson Roberto Sandri, da Hagil e da própria empresa que leva o seu nome. O ex-funcionário da Copel e Sonda foram presos em Cascavel e Sandri em Pinhais. Os detidos vão responder pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva.

A operação

A investigação, que levou um ano, começou após uma auditoria feita pela própria Copel, que identificou diversas irregularidades em contratos da estatal com várias empresas. A partir daí, a Copel comunicou a polícia e iniciou o processo interno que culminou com a demissão do funcionário.

O Nurce investigou 12 contratos firmados pela Copel chegando a sete empresas. Além do trio que foi detido na operação, os responsáveis pelas empresas foram conduzidos coercitivamente.

As informações da operação estão no site da Polícia Civil do Paraná.

Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de quem os faz. O Blog e o blogueiro não se responsabilizam pelos comentários dos internautas.

Deixe uma resposta